5 passos para proteger a voz

Se a voz é, para si, um instrumento de trabalho, saiba que cuidados que deve ter para a proteger, evitando esforço desnecessário e salvaguardando a saúde das suas cordas vocais.

 

O que têm em comum um professor, um treinador, um advogado e um ator? Todos usam a sua voz como uma ferramenta de trabalho, logo estão mais sujeitos a ter problemas vocais. Se a sua profissão também implica que fale durante longos períodos, há alguns cuidados que deve ter para proteger a voz, evitar que as cordas vocais estejam constantemente em esforço e prevenir problemas não só a curto, mas também a longo prazo.

Neste Dia Mundial da Voz, deixamos-lhe cinco passos que deve seguir para proteger a voz no seu dia-a-dia.

1. Cuidado com o que bebe e come

Para proteger a voz deve evitar beber bebidas muito quentes ou muito frias. Devem ainda ser evitadas bebidas com cafeína e bebidas alcoólicas.

Em relação aos alimentos, exigem-se cuidados especiais quando se sofre de refluxo gastroesofágico (vulgarmente conhecido por azia), que é extremamente agressivo para a região onde se localizam as cordas vocais.

2. Hidrate-se

Para que as cordas vocais se mantenham devidamente hidratadas, deve beber cerca de 7 a 8 copos de água ao longo do dia, em pequenos tragos. Em ambientes com ar condicionado a hidratação deve ser reforçada.

3. Atenção à postura, ao vestuário e à forma como fala

Para que as cordas vocais não sejam sujeitas a demasiado esforço, não devemos falar com o queixo e o pescoço esticados para cima, nem curvados. Ainda que o efeito da má postura na nossa voz não se sinta de forma imediata, ao fim de algum tempo a voz vai ressentir-se.

Também deve ter atenção ao seu vestuário, evitando peças de roupa que o apertem na zona do pescoço e na cintura, limitando os movimentos de respiração e fonação.

Por fim, deve falar suavemente, de forma pausada e com uma respiração adequada, garantindo que não fica sem fôlego e em esforço.

4. Aqueça a voz antes do trabalho e deixe-a descansar no final

Dedique alguns minutos a aquecer as cordas vocais antes dos momentos em que sabe que terá de falar mais. Com o abdómen contraído, encha os pulmões de ar, coloque a língua no céu da boca e faça-a vibrar emitindo o som “trrr” até que o ar acabe. Volte a repetir o processo, mas desta vez fazendo vibrar os lábios com o som “brr”. Repita várias vezes.

Depois do uso intensivo da sua voz deve desaquecê-la, bebendo água à temperatura ambiente, bocejando algumas vezes e deixando-a repousar durante alguns minutos.

5. Esteja atento a alterações na sua voz

A rouquidão pode ser um sintoma de diversos problemas de diferente gravidade, desde a má utilização das cordas vocais, até a tumores. Por isso, quando a rouquidão persiste e não tem um quadro de doença aguda associada, é importante consultar um otorrinolaringologista.

Deve ainda procurar o médico caso tenha dores de garganta frequentes, perda de voz, irritação na garganta que se prolonga por mais de 10 dias, cansaço ao falar ou pigarreio frequente, por sentir necessidade de limpar a garganta, bem como se notar uma diminuição do volume da sua voz, obrigando-o a esforçar-se para falar um pouco mais alto.