A Felicidade faz bem à saúde!

Tanto na vida pessoal, como na profissional, a felicidade tem imensos benefícios para o seu bem-estar psicológico e físico. Saiba porquê e o que pode fazer para ter uma vida mais feliz.

 

Muitas são as coisas que nos podem fazer felizes. A casa e o carro com que sonhámos, sucesso profissional, amigos e família, ver os nossos filhos a crescerem com saúde e alegria, os pequenos prazeres da vida. Mas também são muitas as coisas que, no dia-a-dia, ameaçam a nossa felicidade, como o stress e as preocupações, a incerteza quanto ao futuro, as imagens de fome, miséria e guerra que todos os dias nos chegam pela televisão.

Não importa o que precisa para se sentir feliz, saiba que a felicidade – mesmo que altamente subjetiva – anda de mãos dadas com a saúde. E não pense que falamos apenas do impacto que as emoções e os sentimentos como a alegria, a tristeza, o medo ou a raiva têm no nosso dia-a-dia. São cada vez mais os estudos que comprovam que a felicidade influencia a nossa saúde a longo prazo, assumindo uma importância semelhante à prática de exercício físico ou à adoção de hábitos alimentares saudáveis. Porquê?

O impacto das “hormonas da felicidade”

O nosso corpo reage a estímulos internos e externos segregando diferentes hormonas e neurotransmissores, substâncias que asseguram a comunicação entre os neurónios e que regulam várias funções do nosso organismo. Entre estas há um quarteto muito especial, conhecido por “hormonas da felicidade”, composto por dopamina, oxitocina, serotonina e endorfina.

Responsáveis pelas sensações de prazer, motivação, alívio, vínculo e interação social, alegria, boa disposição e confiança, as “hormonas da felicidade” têm um impacto extremamente positivo no nosso bem-estar. E a boa notícia é que, como poderá ver no final deste artigo, a sua produção pode ser estimulada.

A felicidade ajuda a prevenir doenças

A felicidade e o bem-estar emocional influenciam positivamente o sistema imunológico e cardiovascular, ajudam a combater o stress e a dor, a diminuir inflamações e potenciam a cicatrização. Assim, além de ajudar a prevenir doenças, a felicidade ajuda também no processo de cura.

Além disto, pessoas felizes tendem a cuidar mais de si – praticando exercício, comendo e dormindo melhor – o que se traduz também numa vida mais saudável.

A felicidade ajuda-o a ser mais produtivo

Muito além de um sorriso no rosto ou de momentos fugazes de boa disposição entre colegas, a felicidade no trabalho consubstancia-se a uma verdadeira sensação de satisfação com a sua vida profissional. Para ela concorrem vários aspetos, como a motivação, o ambiente corporativo, as relações entre colegas e com a entidade empregadora.

Colaboradores felizes são mais saudáveis, faltam menos, produzem mais, envolvem-se com maior facilidade nas atividades da empresa, vestem a camisola. E isto não contribui apenas para a sua própria saúde, mas também para a saúde da própria empresa.

A felicidade no trabalho é fruto dos esforços conjuntos de colaboradores e entidade empregadora. Neste campo, todos têm um importante papel a desempenhar, contribuindo e promovendo um ambiente de trabalho feliz, onde o desenvolvimento pessoal e a vida familiar não sejam relegadas para segundo plano. Uma missão que pode ser facilitada com a Psicologia Organizacional.

Pequenos passos para uma vida mais feliz

Ao contrário do que muitas vezes se pensa, a nossa felicidade não depende exclusivamente da sorte, dos que nos rodeiam ou de grandes feitos. Pelo contrário, o caminho para a felicidade depende, sobretudo, de si próprio.

A adoção de pequenos hábitos no dia-a-dia é o primeiro passo para uma vida mais feliz. Deixamos-lhe cinco:

– Valorize-se, invista no seu desenvolvimento pessoal e aprenda a gostar realmente de si. O amor-próprio e a inteligência emocional são fundamentais para tomar as rédeas da sua felicidade e não a deixar dependente do carinho ou da valorização de outros.

– Afaste-se de quem o afeta negativamente, na sua vida pessoal ou até no trabalho. Se não for possível pôr um ponto final a relações tóxicas, evite muita proximidade com pessoas que considere nocivas.

 – Apanhe sol, mesmo que apenas durante alguns minutos. Aproveite estes momentos para apreciar a natureza ou para respirar mais pausadamente. Isto é ainda mais importante para quem trabalha em espaços fechados e com pouca luz.

 – Estimule a produção das hormonas da felicidade. Pratique exercício físico, evoque boas memórias, passe bons momentos com pessoas especiais, desfrute de uma boa refeição, abrace, toque e mime as pessoas de quem mais gosta, dê uma boa gargalhada, cante e dance.

– Contribua para um local de trabalho feliz, nem tudo depende da sua entidade empregadora. Interaja com os seus colegas, comunique de forma clara as suas necessidades e as suas preocupações, envolva-se nas soluções. Valorize o que mais o motiva no desempenho das suas funções e não deixe que pequenos atritos ganhem uma importância maior do que aquela que realmente têm.